Residia na Turquia
Um viúvo capitalista
Pai de dois filhos solteiros
O mais velho João Batista
Então o filho mais novo
Se chamava Evangelista.

O velho turco era dono
Duma fábrica de tecidos
Com largas propriedades
Dinheiro e bens possuídos
Deu de herança a seus filhos
Porque eram bem unidos.

Aquele sujeito estranho
Tinha saído bem cedo
Caçando com três cachorros
No penhasco dum rochedo
Foi descansar nesse dia
Naquele mesmo arvoredo.

Chegando no arvoredo
Foi dizendo: – Oh! Meu rapaz
São seus aqueles carneiros
Que eu vejo ali por trás?
Quer trocar por meus cachorros?
Veja o negócio que faz!

O rio estava de nado
Vinha um vaqueiro de fora
Perguntou: – Dará passagem?
João Grilo disse: – Inda agora
O gadinho do meu pai
Passou com o lombo de fora.

O vaqueiro bota o cavalo
Com uma braça deu nado
Foi sair já muito embaixo
Quase que morre afogado
Voltou e disse ao menino:
– Você é um desgraçado.